Bloguinho da Zizi

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A florzinha e o beija-flor



Deu-se a flor por completo ao beija-flor.
Eram um para o outro!
Deixou exalar seu mais suave perfume, iluminou suas pétalas de coloridos tons, bailou nas aragens mansas, intumesceu os pistilos grávido de amor.
Deixou-se colher ao aconchego das noites enluaradas, nas promessas de amor, nas juras, dos sonhas de enfeitar a vida.
Sabia dos perigos da mata, das ervas daninhas, dos meninos destruidores e mesmo assim deu-se inteira.
E o beija-flor a visitava; beijavam-se, amavam-se, desejavam-se.
A flor foi crescendo, ficando mais e mais alta, mais e mais aberta.
Um dia o beija-flor não veio.
Ela esperou por seus beijos, mas eles não vieram...
Procurava entender com seu miolinho amarelinho, o que estaria acontecendo.
Esticava seu caule para olhar mais longe e ver além do jardim.
Os dias fechavam suas janelas, as noites esticavam seus tapetes e nada do beija-flor voltar.
Um dia ela perguntou ao vento:
- Seu vento, por acaso o senhor viu o meu beija-flor por aí?
E o vento assobiando, respondeu:
- O "seu" beija-flor, florzinha? Que pena que pensa assim!
- Não entendo o que diz, seu vento! Por que usou esse tom?
Então o vento parou, envolveu-a carinhosamente e disse:
- "Seu" beija-flor, florzinha, nunca foi seu de fato. As flores pensam assim, e acabam sempre caindo... O beija-flor voa livre, beija todas as flores, encanta, faz-lhes a corte, mas não fica com nenhuma. Sempre abandona as flores quando já lhes sorveu o mel.
- Não acredito no senhor! Só pode ser mentira! Eu vou esperar por ele!
- Ah, florzinha teimosa, não adianta chorar, não! O beija-flor já vai longe, voando em outros jardins. Você não sabe que ele se protege é voando? Tem medo de parar, ficar quieto nos galhos. Tem medo que as crianças machuquem as suas asas, tem medo que a erva daninha envenene o seu mel, tem medo de ficar preso numa gaiola feia!
 O beija-flor, minha linda, nunca será de ninguém! E desconfio que goste de viver desse seu jeito...

Triste destino da flor, agora despetalada, encurvou seu caule longo, deixou a terra sujar suas pétalas delicadas.
Então o vento chamou a chuva para ajudar a florzinha. E a chuva molhou a flor que tornou a levantar.
Só que agora, mais sábia, se fecha sem mais deixar que nenhum passarinho possa com seu bico roubar, o  melzinho da sobra que o beija-flor não quis levar.

(Paula Baggio)

12 comentários:

✿ chica disse...

Noooooooossa, que coisa mais linda. Acho que estou muito abobadinha, pois chorei com essa pureza, essa inocência, sensibilidade por aqui mais uma vez!!! ADOREI! beijos,chica

marlene disse...

que lindo texto e história minha querida zizi um conto lindo e triste
comovente pois amo as flores e adoro aos passaros,parabens por compartilhar tem muita sensibilidade
e ternura esta post linda amiga adorei
receba meu abraço com carinho agradecendo suas visitas e comentarios que para mim são muito especiais bjs marlene

Arione Torres disse...

Oi querida, sou Arione, gostei muito do seu blog, é muito lindo e de textos maravilhosos!
Estou te seguindo, se quiser meu blog fique a vontade:
http://www.arionetorres.blogspot.com/
Tenha uma ótima semana, bjus...

blog da Paraguassu disse...

Zizi, minha querida,
Que coisa mais fofa e linda essa história do beija-flor e da florzinha.
Encantou-me.
Embora saiba do amor da florzinha pelo beija-flor, também sei que ele anda de flor em flor, em seu infatigável esvoaçar, na busca do mel tão apreciado.
Gostei muito, ou melhor, amei!
Deixo-te um beijo em teu coração.
Maria Paraguassu.

Angela Fonseca disse...

Tristinha essa história. Mas tão verdadeira... Há pessoas que são como beija-flores: seduzem e... voam! E é uma pena, porque a dor que deixam faz com que as flores se fechem, com medo de doer de novo. E acabam por se esquecerem de como é o amor... Beijos, Angela

Jacque disse...

Eu tenho dois cartões pra vc no Blog: SELINHOS RESENTES.
http://selinhospresentes-jacque.blogspot.com/


Beijo

Maria José Rezende disse...

Olá Zizi. Fiquei emocionada com essa história. Assim como as flores, as mulheres são mais sensíveis ao amor e se deixam apaixonar mais facilmente. Mas ela aprendeu que devemos praticar o desapego, por mais que doa.
Tem um selinho para você em Mimos 2011. Beijos.

Regina Rozenbaum disse...

Não conhecia e me emocionei por demais. Aliás aquele "humor" que vc bem me "florou" voltou com força total...Aff Zi_amada que não entendo! E os desejos esquisitos(?)de bater asas pra outros planos...mi-se-ri-cór-dia!
Beijuuss n.a.

Jeanne Geyer disse...

comovente e bela história,bem semelhante com alguns homens e mulheres também, que temem o amor...
Beijos :)

Calu disse...

Na apaixonada florzinha mora a suavidade do primeiro amor, nem sempre feliz, mas real.Doçura, sonho e realidade nas linhas do conto que só vc colheria para nós, Zizi.
Obrigada , amiga,
Bjkas,
Calu

Maria José Rezende disse...

Que você tenha no olhar, o encantamento da vida.
Que você tenha no coração, a plenitude do amor.
Que você possa sentir a presença de Deus, da paz, do amor e do perdão.
Que você acredite na beleza da vida, nos sonhos e na esperança.
Um feliz Natal e um Ano Novo com muita luz.
Beijos. Maria José

Graça Pereira disse...

Mais uma bela história que me encantou! Descobri que tenho uma Amiga que é uma fada belissima a contar histórias... Que mais irei ler por aqui?
Desejo-te de todo o coração um NATAL MUITO FELIZ para ti e todos os teus e un NOVO ANO com saúde e paz.
Voltarei no último dia do ano.
Mil beijos, minha querida.
Graça