Bloguinho da Zizi

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

A loja da verdade



Mal pude crer nos olhos quando vi
o nome do lugar: A Loja da Verdade.
Ali eles vendiam a Verdade!

A funcionária ao balcão foi delicada:
que tipo de verdade eu procurava...
só parte dela ou a Verdade toda?
Pois claro, a Verdade toda.
Não me dê decepções nem altos pensamentos.
Eu disse que gostava da Verdade
muito clara, simples, inteira.
Ouvindo isto, ela conduziu-me então
para o outro lado do balcão onde vendiam,
somente aí, a tal Verdade inteira.

O comerciante olhou-me compassivo
e mostrou-me a «etiqueta» com o preço:
«Como assim?», perguntei, determinado
a conseguir, custasse o que custasse
a Verdade toda.
«É que... se levar esta Verdade,
o preço que por ela vai pagar
será não ter mais descanso na vida».

Foi o que disse o homem do balcão
e eu, triste, afastei-me dessa loja
porque pensava eu, tolo, que podia
achar a Verdade inteira... a baixo preço.
Não estou pronto ainda para ela;
quero descanso e paz, de vez em quando;
sinto que preciso ainda de racionalizar,
de usar defesas,
escondendo-me atrás dessas muralhas
que levantei com crenças imbatíveis!

Anthony de Mello, O canto do pássaro

10 comentários:

Calu disse...

Zizi,
este é um daqueles textos que nos roubam a fala, o verbo, a respiração...
Como o autor descobri que:"...não estou pronta ainda para a Verdade inteira.Quero descanso e paz de vez em quando;"
Que tua iluminação continue a nos presentear com obras como esta acima.
Obrigada amiga,
Bjkas,
Calu

ValériaC disse...

Belo texto querida..longo caminho até suportarmos conhecer a Verdade inteira... mas vamos seguindo, sem desanimar, vamos nos preparando e um dia conseguiremos digeri-la totalmente, não é?
Lindo fds amiga...beijos
Valéria

Jorge (Nectan) disse...

Que caminhos tortuosos vamos seguir para compreender e aceitar a verdade inteira? Só o tempo e com força de vontade mesmo.

Um doce beijo, Anjo!

Estela disse...

Oi Zizi,
Belo texto. .. e é verdade que nem sempre estamos preparados para ouvir a verdade.
Obrigada por sua visita no blog.
Bjs.

Rejane-Enajer disse...

Zizi,que janela gostosa de apreciar!! minha doce amiga , muito feliz fiquei em voltar e já estar recebendo sua calorosa visita viu? e que maravilha de texto !! simmm...se você não assistiu "o ensaio sobre a cegueira", eu recomendo-é maravilhoso!!um grande abraço amiga!!

Carmo disse...

Muito bom este texto!

Só caminhando pela verdade atingiremos a sabedoria

Um abraço

Boa semana

MOMENTOBRASILCOM.blogspot.com disse...

Zizi, grato p/ visita e comentário. PARABÉNS! pelo blog. Abrçs. Roy Lacerda.

Chica disse...

Muito linda essa loja,Zizi!beijos,lindo domingo,chica

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Zizi, gostei muito desse post. Essas mensagens, que vc escolhe pra compartilhar, são sempre maravilhosas.
Verdade...nem sempre queremos ouvir ou estamos preparados para ela.
uma boa semana pra vc!

Regina Rozenbaum disse...

Zizi, amada! Me lembrei do que coloquei na primeira folha de uma monografia, poesia de Drummond:
VERDADE
A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.
Beijuuss n.c