Bloguinho da Zizi

sexta-feira, 1 de junho de 2012

A Verdade



A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

Carlos Drummond Andrade

15 comentários:

✿ chica disse...

Não conhecia essa poesia dele. Que maravilha e faz pensar ,não?

Linda, linda!! Encontras sempre maravilhas pra nos mostrar!!Adoro! beijos,ótimo fds,chica

Mari Rehermann disse...

lindo poema de Drumond!

Tenha uma sexta-feira iluminada!!
Beijos!!♥

Kinha disse...

Essa eu não conhecia.

Regina Rozenbaum disse...

Sabe que essa maravilha está na introdução de minha monografia de conclusão de curso...a-do-ro! Bota anos nisso rsrs. Tudo a ver com psicanálise, subjetividade, e afins.
Beijuuss, amaaada, n.a.

Calu disse...

Visões estreitas e meias-verdades escancaradas nesse poema cortante do grande Drumond.
Lindo demais.Eu não conhecia.Acabei de ficar encantada e pensativa.
Obrigada, Zizi.
Bjos,
Calu

Jorge disse...

Não existe meia verdade. Mas cada um tem a sua verdade.

Anjo, um doce beijo!!!!

manuela baptista disse...

e é assim a verdade

eu e a outra metade


um beijo

✿ chica disse...

Voltei pra agradecer o carinho e desejar um lindo domingo!!Aqui, tudo bem! Fiz um montão de historias pro sementinhas, entrei no mundo das crianças ,esqueci a chica chata.Ficou pra trás,rsbeijos,chica

lis disse...

Vim da Chica conhecer o bloguinho da Zizi.
Delicado como poemas de Drumonnd.
Prazer,e volto pra apreciar suas escolhas.
bom domingo

Cancer de Mama Mulher de Peito disse...

Me fez lembrar de um livro de Cora Coralina.
Meias Verdades de Aninha.
Em tudo somos meios.
Bjs.
Wilma
www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

Jeanne Geyer disse...

incrível, vou descrever o que senti ao ler o título: um frio no estômago. pensei, mas como alguém se atreve a definir a verdade? li adorando cada palavra genialmente colocada, e no final, o nome do autor explicou tudo,rsrsrs
tu me empresta pra colocar no meu blog com os créditos?
bjs :)

ValériaC disse...

E assim somos todos nós, cada qual carrega em si sua própria verdade, feita de relativa verdade.
Boa semana amiga, beijinhos,
Valéria

Maria José Rezende disse...

Olá Zizi. Ver com antolhos. Lindo poema. Beijos.

♫*Isa Mar disse...

Belíssimo poema Zizi, que fala das múltiplas ou fragmentadas verdades, cada um detém pequenas partículas dela.
Beijos e boa semana!

Denise Portes disse...

Zizi,
A verdade é o melhor caminho para evoluirmos como seres humanos, eu acho.
Um beijo
Denise