Bloguinho da Zizi

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Contos de Natal - 1


       

Promessa de Natal   
          

Vi um caminhão cheio de árvores de Natal e cada uma tinha uma história para contar. 
O motorista, colocou-as em fila e ficou à espera que as pessoas as viessem comprar. Pendurou umas luzinhas brilhantes e uma placa em que se podia ler em encarnado: ÁRVORES DE NATAL PARA VENDER. 
Quando o homem se servia de chocolate quente duma garrafa térmica fumegante, uma mãe, um pai e um menino pararam o carro apressados e começaram a procurar a árvore mais bonita de todas.

O rapazinho ia à frente e com um olhar reluzente, exclamou:
- Elas têm cheiro de Natal, mãe! Sinto o cheiro de Natal em todo lado. Vamos comprar uma árvore de quilômetros de altura. A maior que pudermos encontrar. Uma árvore que chegue ao teto e nem dê para carregar. Uma árvore tão grande que até mesmo o Papai Noel, quando olhar, se admire e diga: "Esta é a árvore mais bela que já vi neste Natal!”
Para achar o pinheirinho perfeito procuraram com muito cuidado. Aqui e ali, e até mais de uma vez, o pai examinou e balançou mais de seis.
- Mãe, mãe, encontrei, encontrei, o pinheirinho do que mais gostei! Tem um raminho partido, mas pode ficar disfarçado. Do anjinho da avó tiraremos o pó e lá no alto ficará a guardar-nos.
- Podemos comprá-la? Por favor, por favor! - pediu com fervor.
- Que tal um chocolate quente? - perguntou o vendedor indulgente, enquanto abria o termo para aquela gente.
- Isto sim vai aquecer o ambiente! E em três pequenos copos de papel serviu o chocolate quente. Brindavam, esperançosos, a mais um feliz Natal.
- Escolheste muito bem. Este é realmente o melhor pinheirinho. 
- Feliz Natal - disse o homem, amarrando o pinheiro com um cordão! Mas o rapazinho estava triste porque o preço era alto demais para o que o pai podia pagar.
Foi então que o vendedor lhe fez uma proposta:

- A árvore é tua com uma condição: tens de manter uma promessa. Na noite de Natal, quando te fores deitar e rezar promete guardar no teu coraçãozinho o encanto do Dia de Natal! E agora corre para casa, senão este vento gelado as tuas bochechas vai queimar.

E assim foi, com o vento zunindo, durante toda a noite gelada. O bom homem ofereceu árvore após árvore após árvore. Com cada pessoa que apareceu brindou com o chocolate quente. E quem jurou manter a promessa de guardar no coração o encanto do Natal, saiu na noite contente, cantando canções alegremente.
    Quando tudo acabou só uma árvore restou. Mas ninguém estava lá para esta árvore adotar. Então, o homem vestiu o seu grosso casacão e partiu para a floresta com a última árvore da festa. Deixou o pinheirinho perto de um pequeno riachinho, para que as criaturas sem casa pudessem fazer dela a sua morada. E sorria enquanto tirava os flocos de neve que na sua barba encontrava. Foi então que por detrás de um arbusto, uma rena quase lhe pregou um susto. Olhou para ela e sorriu. Fazendo uma festinha na grande criatura, pensou com brandura: "Parece que o Natal chegou novamente! Ainda temos muito chão e muitas coisas para fazer! 
- Vamos para casa, amiga, trabalhar neste Natal que vai começar". 
Olhou para o céu, ouviu os sinos a tocar e, num pestanejar, já lá não estava o vendedor.

Howard D. Fencl



10 comentários:

✿ chica disse...

Que lindo conto e esses de Natal são sempre mais e mais brilhantes,né?


Linda idéia e compartilhamento!beijos,chica

Denise disse...

O espírito de Natal a gente pode manter, mesmo que cresçam nossas crianças e diminuam nossas esperanças...linda mensagem, Zizi.

Por aqui o Papai Noel tende a ser diferente este ano...talvez o tal espírito de Natal se fortaleça....

Um beijo, irmiga!

♥Soniaconsult♥ disse...

Que lindo Zizi!!
Este é o Natal que devemos ter.
Bjos e uma boa semana

Calu disse...

Ah, Zizi,
só vc poderia te trazido tamanha doçura para compartilhar.
Puro encantamento conta o conto que nos faz sonhar com a magia do Natal.
Amei!!Obrigada!
Bjkas doce amiga,
Calu

Jorge disse...

Que lindo!!!!
Natal é sempre Natal!!!

Beijo, Coração!!!

♫*Isa Mar disse...

Oi Zizi, lindo o conto de Natal.
Eu particularmente não gosto dessas datas festivas, então procuro só me concentrar no verdadeiro sentido do Natal.
Beijos e uma linda semana!

Maria José Rezende disse...

Olá amiga Zizi. Que conto lindo. O Natal sempre emociona com seu brilho e mensagens de amor. Seu blog está lindíssimo. Beijos carinhosos.

Graça Pereira disse...

Um conto de Natal lindissino, pleno da magia desta época. Adorei! Está uma noite muito fria e, junto á lareira, os contos de Natal parecem que saltam com as labaredas... A minha árvore já feita e iluminada aquece tambem o meu coração e, nas minhas mãos, há uma caneca quente cheia de um chocolate perfumado...
Coincidências? Acontecem nesta quadra.
Mil beijos.
Graça

✿ chica disse...

rsssss....vim responder..Acho que descobriste quem era a mãe do pestinha na livraria GLOBO,tri chique e famosa (na época) aqui em Poa... Imagina a cena!

beijos,chica

Jeanne Geyer disse...

muito emocionante. nesta época fico muito sensível...
Beijos :)