Bloguinho da Zizi

domingo, 16 de dezembro de 2012

Minha aldeia


Foto da aldeia Póvoa Dão - berço da minha família materna

....Bate o sol na minha aldeia
com várias inclinações.
Angulo novo, nova ideia;
outros graus, outras razões.
Que os homens da minha aldeia
são centenas de milhões.

....Os homens da minha aldeia
formigam raivosamente
com os pés colados ao chão.
Nessa prisão permanente
cada qual é seu irmão.
Valência de fora e dentro
ligam tudo ao mesmo centro
numa inquebrável cadeia.
Longas raízes que imergem,
todos os homens convergem
no centro da minha aldeia. 

António Gedeão

7 comentários:

✿ chica disse...

Que linda aldeia, iluminada pelo sol. Linda poesia, linda chance de viajar nela...

Adorei tua escolha, mais uma vez!! És mesmo especial! beijos,linda semana,chica

manuela baptista disse...

a nossa aldeia global!


desejo-lhe boas festas, Zizi

um abraço

Calu disse...

Nessa aldeia milenar onde todos são uma só raiz,brotam lembranças embaladoras dos pensamentos presentes.
Uma bucólica e pacífica aldeia.
Que em 2013 vc a revisite, reconexe de corpo e alma com sua ancestralidade, Zizi.
Bjos,
Calu

Angela Fonseca disse...

Amo Portugal, mesmo sem conhecer. Vejo tão lindas fotos e conheço tantas pessoas gentis da 'terrinha' que fico com vontade, quem sabe,de poder ir até lá um dia. Lindo poema. Beijinhos, Angela

Manuel disse...

Lindo este poema do Gedeão, aliás, como todos os poemas que nos deixou.
Belo e retrata na perfeição o que eram as aldeias, já não são a mesma coisa, mas continuam as nossas aldeias.
Bom Natal, tudo de melhor cara amiga.

Estela disse...

Oi Zizi,
Vim vistar a Aldeia e gostei do encontro com Gedeão...
Bjs.

Denise Portes disse...

Zizi,
Muito bonito esse poema, obrigada por me apresentar.
Beijos
Denise