Bloguinho da Zizi

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Animais também tomam florais
Sabemos que os animais manifestam aquilo que passamos. Assim sendo, tristeza, stress, depressão são doenças há muito diagnosticadas por médicos veterinários.
Os florais têm a finalidade de ajudar a re-equilibrar temperamentos e comportamentos que estão se apresentando excessivos, em desequilíbrio. Seu uso é seguro, seus resultados são consistentes e sua administração exige pouco tempo.
Se seu animal é:
- agressivo, agitado, raivoso, provocativo, intolerante, impaciente, destrói tudo o que vê pela frente.
- carente, agitado, rebelde ou tem dificuldade de aprendizado.
- apático, angustiado, depressivo, saudoso ou é submisso.
- medroso, desconfiado, se sente acuado ou tem dificuldade em relacionar-se.
- obeso, tem incontinência urinária.
- tem câncer, artrite, artrose.
- pêlo ou pena cai com freqüência, lacrimeja demais, apresenta surdez.
- em caso de pássaro que deixa de cantar repentinamente

Tudo isso pode ser tratado por florais, independente da medicação veterinária que estiver tomando.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Agora

" A porta para o infinito está aberta Agora!
Entra, passa por ela Agora, e alça vôo para o Alto...
Deixa que tua mente se expanda... já não possues limites...
Teu Ser é infinito, possui a Força Divina, a Luz e a Sabedoria...
ele é aquilo que te foi dado: Luz!
Sente dentro de ti a força latente que cresce e
cada momento que te ligas a ela.
Mais e mais ela se expandirá.
Vibra teu amor interno a tudo e a todos,
e estarás desenvolvendo internamente, quebrando barreiras e temores.
Mantém o alinhamento com tua Alma, com teu Mestre Interno
e nunca mais sentirás dúvidas, medo ou limitações.
(K. - 02.08.1990)

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Compatilha de toda a dor do mundo,
mas não dirige tuas forças
para onde és impotente,
e sim para o próximo,
a quem podes ajudar,
a quem podes amar
e alegrar.

- Hermann Hesse -

Silencia

Teu dom, tua sabedoria e força emergirão do oceano de idéias
e pensamentos de teu ser interno.
Acalma-te internamente.
Areja a tua mente.
Aquieta tua personalidade.
Trabalha internamente no Silêncio
e vai ao encontro de tua alma, de tua essência.
Somente Ela poderá saciar tua sede de sabedoria,
força, equilíbrio, harmonia e amor.
Prepara-te.
Confia naqueles que teu coração permitir, caso contrário, silencia.
Permite e ti mesmo colocar os dois pés no caminho
e anda confiante, pois a Força estará contigo.
Buscarás em teu íntimo tudo que precisas e, então,
estarás pronto para o real Serviço à Luz.
Acumula energias.
Expande tua luz e o resto virá a teu encontro.
Força em teu coração, mente e Alma.
(Maitreya - 26.08.90)

Do livro - Mensagens dos Mestres (de coração a coração)
M. Stella Lecocq

O poder de um sorriso


Um sorriso não custa nada, mas cria muitas coisas.
Dura só um momento, mas sua lembrança perdura pela vida a fora.
Não se pode comprá-lo, mendigá-lo, pedi-lo emprestado ou roubá-lo.
Não tem utilidade enquanto não é dado.
E por isso se no seu caminho encontrares uma pessoa
por demais cansado para lhe dar um sorriso, deixa-lhe o seu,
pois ninguém precisa tanto de um sorriso quanto
aquele que não tem mais um a oferecer.
Seu sorriso será tão precioso para esta pessoa
que no momento que ela receber ela sentirar a magia
da felicidade incendiar o seu viver, e ela de gratidão
lhe retornarar um belo e meigo sorriso.
Por isso minha querida amiga, conserve este brilho
de alegria em seu rosto, pois mesmo que você não
perceba através do seu sorriso, você transmite para
as pessoas que caminham ao seu lado forças, alegrias e corage
m!

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Criando a própria vida


Criamos continuamente possibilidades em torno de nós, mas nos surpreendemos quando elas acontecem.
Vigie bem suas idéias e observe como elas criam sua vida. Se alguém pensa que é um fracasso, que não vai fazer nada na vida... Realmente, essa pessoa não irá fazer nada porque sua idéia está criando essa realidade!
Quanto mais ela achar que não,
Cria-se um círculo vicioso!
Quem pensa que vai ter sucesso, é bem-sucedido.

Experimente e você ficará admirado; algumas vezes, nem vai acreditar.
Se um homem pensa que jamais encontrará um amigo, ele não encontrará.
Ergueu em torno de si a muralha da China. Não está disponível e pronto! Ele precisa provar que sua idéia está certa e... Mesmo que alguém se aproxime com grande cordialidade, será rejeitado porque ele precisa provar sua idéia; está muito comprometido com ela!
E pouco a pouco todos se tornarão seus inimigos.
Por isso, observe bem o que pensa e o que deseja... Observe a sua mente.
Você está constantemente criando o que vai colher da sua vida... Quer chova ou faça sol.
Se é assim, melhor que faça sol, não é mesmo?

Texto retirado do livro - Vá com Calma, de Osho

O campo de abacaxis

Esta é uma história verídica.

A história do campo de abacaxis aconteceu na Nova Guiné.
Ela durou sete anos. É uma ilustração profunda de um princípio bíblico básico aplicado. Ao ler este relato original, você descobrirá que ele é um exemplo clássico do tipo de lutas que cada um de nós enfrenta até que aprenda a aplicar o princípio de renúncia aos direitos pessoais.

“Minha família e eu trabalhamos com pessoas bem no meio da selva”. Um dia, resolvi levar para aquela região alguns abacaxis. O povo já tinha ouvido falar de abacaxis. Alguns já os haviam provado, mas não tinham meios de consegui-los. Busquei então, mais de cem mudas de uma outra missão. Contratei um homem da aldeia, e ele plantou todas as mudas. Eu o paguei pelo serviço prestado (sal e diversas outras coisas que necessitava) e durante dias ele trabalhou. Precisei ter muita paciência até que as pequenas mudas de abacaxi se tornassem arbustos grandes e produzissem abacaxis.
Demorou uns três anos. Lá no meio da selva, você às vezes tem saudades de comer frutas. Não é fácil conseguir frutas e verduras frescas.

Finalmente, no terceiro ano, pudemos ver surgir abacaxis que davam “água na boca”, e só estávamos esperando o Natal chegar, porque é nesta época que eles ficam maduros. No dia de Natal minha esposa e eu saímos ansiosos para ver se algum abacaxi já estava pronto para ser tirado do pé, mas tivemos uma surpresa desagradável após a outra. Não conseguimos colher nem um só abacaxi.
Os nativos haviam roubado todos! Eles os roubavam antes de ficarem maduros. É costume deles, roubar antes que as frutas amadureçam e assim o dono não as possa colher.

E aqui estou eu, um missionário, ficando com raiva dessas pessoas. Missionários não devem ficar com raiva, vocês todos sabem disto, mas fiquei e eu disse a eles: “rapazes, eu esperei três anos por estes abacaxis. Não consegui colher um único deles. Agora outros estão amadurecendo, se desaparecer mais um só destes abacaxis, fecharei a minha clínica”.

Minha esposa dirigia a clínica. Ela dava gratuitamente todos os remédios àquela gente. Eles não pagavam nada! Nós estávamos nos desgastando tentando ajudá-los, cuidando de seus doentes e salvando as vidas de suas crianças. Os abacaxis ficaram maduros e um por um foi roubado! Então achei que deveria me defender deles. Eu simplesmente não podia deixar que fizessem comigo o que queriam... Mas a verdadeira razão não era esta.

Eu era uma pessoa muito egoísta, que queria comer abacaxis. Fechei a clínica. As crianças começaram a adoecer, não podiam evitar, a vida era bastante difícil naquela região. Vinham pessoas com gripe, tossindo e pedindo remédio e nós dizíamos: “Não! Lembrem-se que vocês roubaram nossos abacaxis”. “Não fui eu!” – eles respondiam – “foram os outros que fizeram isso”. E continuaram tossindo e pedindo. Não conseguimos manter mais a nossa posição; reabrimos a clínica. Abrimos a clínica e eles continuaram roubando nossos abacaxis.
Fiquei novamente louco raiva e resolvi fechar o armazém.
No armazém eles compravam fósforos, sal, anzóis, etc.
Antes eles não tinham essas coisas, por isso não iriam morrer sem elas. Comuniquei minha decisão: “vou fechar o armazém, vocês roubaram mais abacaxis”.

Fechamos o armazém e eles começaram a resmungar: “vamos nos mudar daqui porque não temos mais sal. Se não há mais armazém, não há vantagem para ficarmos aqui com esse homem. Podemos voltar para nossas casas na selva” e se mudaram para a selva.

E ali estava eu, sentado comendo abacaxis, mas sem pessoas na aldeia, sem ministério, sem condições de aprender a língua para traduzir a Bíblia. Falei com minha esposa: “Podemos comer abacaxis nos Estados Unidos, se é só o que temos para fazer”.

Um dos nativos passou por ali, e eu lhe pedi para avisar que na segunda-feira abriria novamente o armazém. Pensei e pensei em como resolver o caso dos abacaxis... Meu Deus! Deve haver um jeito o que posso fazer?

Chegou o tempo de minha licença e eu aproveitei para ir a um Curso Intensivo para Jovens. Lá ouvi que deveríamos entregar tudo a Deus. A Bíblia diz que se você der você terá; se quiser guardar para si, perderá tudo. Dê todas as suas coisas a Deus e Ele zelará para que você tenha o suficiente.

Este é um princípio básico. Pensei o seguinte: “amigo, você não tem nada a perder. Vou entregar o caso dos abacaxis a Deus...” Eu sabia que não era fácil fazer um sacrifício! Sacrificar significa você entregar algo que você gosta muito, mas eu decidi dar a plantação de abacaxis a Deus e ver o que Ele faria. Assim, saí para plantação, à noite e orei: “Pai, o Senhor está vendo estes pés de abacaxis? Eu lutei muito para colher alguns. Discuti com os nativos, exigi meus direitos. Fiz tudo errado, estou compreendendo agora. Reconheço o meu erro, e quero entregar tudo ao Senhor. De agora em diante, se o Senhor quiser me deixar comer algum abacaxi, eu aceito caso contrário, tudo bem, não tem problema.” Assim, eu dei os abacaxis a Deus e os nativos continuaram roubando-os como de costume. Pensei com meus botões: “Deus não pôde controlá-los” Então um dia, eles vieram falar comigo: “Tu-uan (que significa estrangeiro) o senhor se tornou cristão, não é verdade?” Eu estava pronto para dizer: “Escute aqui, eu sou cristão já há vinte anos!”, mas em vez disto eu perguntei: “por que vocês estão perguntando isso?” “Porque o senhor não fica mais com raiva quando roubamos seus abacaxis”, eles responderam. Isso me abriu os olhos. Eu finalmente estava vivendo o que estivera pregando a eles. Eu lhes tinha dito que amassem uns aos outros, que fossem gentis, e sempre exigia os meus direitos e eles sabiam disso. Depois de algum tempo alguém perguntou: “Por que o senhor não fica mais com raiva?” “Eu passei a plantação adiante”, respondi, “ela não pertence mais a mim, por isso vocês não estão mais roubando os meus abacaxis e eu não tenho motivos para ficar com raiva”.
Um deles arriscando perguntou: “para quem o senhor deu a plantação?” então eu disse: “Dei a plantação para Deus”.
“A Deus?” – exclamaram todos – “ele não tem abacaxis onde mora!” “Eu não sei se lê tem ou não abacaxis onde mora”, respondi – “eu simplesmente lhe dei os abacaxis”.

Eles voltaram para a aldeia e disseram para todos: “vocês sabem de quem estamos roubando os abacaxis? Tu-uam os deu a Deus” e começaram a pensar sobre o assunto... E combinaram entre si: “Se os abacaxis são de Deus, agora não devemos mais roubá-los” Eles tinham medo de Deus.

Os abacaxis novamente começaram a amadurecer. Os nativos vieram para me avisar: “Tu-uan, seus abacaxis estão maduros”. “Não são meus, eles pertencem a Deus” – respondi. “É melhor o senhor comer, pois vão apodrecer”. Então colhi alguns, e deixei também para os nativos.

Quando me sentei à mesa com minha família para comê-los, eu orei: “Senhor, estamos comendo seus abacaxis, muito obrigado por me dar alguns.”. Durante todos os anos em que estive com os nativos, eles
estiveram me observando, e prestando atenção às minhas palavras. Eles viam que as duas coisas não combinavam.
E, quando eu comecei a mudar, eles também mudaram. Em pouco tempo, muitos se tornaram cristãos.

O princípio da entrega a Deus, estava funcionando realmente. Eu quase não acreditei... “Mais tarde, passei a entregar outras coisas para Deus”.

*Extraído do livro A Verdadeira Felicidade (estudo sobre As Bem Aventuranças) – Jaime Kemp - Editora Sepal)

Jaime Kemp

Haverá um tempo

Haverá um tempo em que tudo será bom.
Haverá umtempo onde tudo será Luz.
Onde as pessoas serão sempre amáveis...
Onde todos cantarão o mesmo tom.
Em que bendirão a chuva e o vento,
Porque abrigo não há de faltar.
Os sonhos será realizaveis...
A dor, apenas antigo tormento

Haverá vida brilhante...
Haverá paz sublime
As bocas estarão sempre em festa...
Enfeitadas com um sorriso contagiante.
Os olhos só enxergarão o que for cor...

E tudo será belo.
Como a essência de uma flor.
Das lágrimas, só serão derramadas
As que forem de alegria e felicidade.
Sem fome e sem sede no corpo e na alma.
Sei e confio que há de chegar esse dia...

Onde haverá unidade...
Onde o amor invadirá.
Então, Deus sorrindo dirá:
- Eis enfim a Humanidade.

(desconheço o autor)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Salmo 23


Para afastar as aflições do espírito, as pessoas falsas e para conquistar um coração mais puro.

O Senhor é o meu pastor; 
nada me faltará.
Deitar-me faz em pastos verdejantes; 
guia-me mansamente a águas tranqüilas.
Refrigera a minha alma; 
guia-me nas veredas da justiça por amor do seu nome.
Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, 
não temerei mal algum, porque tu estás comigo; 
a tua vara e o teu cajado me consolam.
Preparas uma mesa perante mim 
na presença dos meus inimigos; 
unges com óleo a minha cabeça, 
o meu cálice transborda.
Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão 
todos os dias da minha vida, 
e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

A ferradura e a cereja

Era uma vez um pai que atravessava um campo na companhia do seu filho quando de repente viu uma velha ferradura no chão. Então, virou-se para o filho e disse-lhe: “- Meu filho, apanha essa ferradura.” Ao que o rapaz ripostou:
“- Para que hei-de eu apanhar esta ferradura velha que para nada serve??” e continuou caminho.
O velho pai vergou-se e guardou a ferradura no bolso.
Ao chegar à cidade, vendeu a ferradura a um ferrador por 5 moedas e depois com o dinheiro comprou cerejas.
No caminho de volta, a sede e a fome já apertavam e o pai começou a comer cerejas… uma após outra, sob o olhar mudo e suplicante do filho. Então, de quando em vez, deixava cair uma cereja que o filho se apressava a apanhar e meter na boca… e de novo repetia e o rapaz de novo a comia… e assim foi todo o caminho.
Chegados próximo de casa, o pai olhou o filho nos olhos e disse:
“- Meu filho, se tivesses apanhado a ferradura, uma única vez te terias vergado e terias então comido as cerejas; assim, evitaste vergar-te uma vez e passaste o caminho todo a vergar-te para comer as cerejas do chão!!

Moral da história: Na vida, por vezes, vale a pena vergar-se uma vez, para que nunca mais necessites de o fazer.

Kwan Yin

Na mitologia chinesa, Kuan Yin é conhecida como a Deusa da Compaixão e da Misericórdia.
Ela existiu como pessoa, igual a todos nós e sòmente depois de sua morte foi transformada em Deusa. Também conhecida como Quan'Am (no Vietnã), Kannon (no Japão), e Kanin (em Bali). Ela cobre as planícies alagadas do Oriente, do Egito à China. E é venerada em todo o mundo por milhões de pessoas, que a consideram o símbolo máximo da pureza espiritual.
Esta Deusa enquanto viveu, percorreu o mundo, viu muita dor e então, jurou proteger e amparar todos os humanos até que o último sofrimento acabe.
A MESTRA KUAN YIN tornou-se a INCORPORAÇÃO DA COMPAIXÃO. Ela nos diz que se você cantar seu mantra diariamente, cultivará a compaixão que curará o mundo das mais dolorosas feridas.
Kuan Yin, cujo nome significa "aquela que ouve os lamentos do mundo" é boddhisatva da Compaixão no budismo chinês. Ela vive em uma ilha paradisíaca de P'u T'o Shan, onde ouve todas nossas preces. Todos que trabalham com sua energia, sabem o quanto ela é doce e sutil, mas também o quanto é poderosa. Somente a menção de Seu Nome alivia o sofrimento e as dificuldades. Mesmo tendo alcançado a iluminação, Ela optou por permanecer no mundo dos homens.
O mantra - OM MANI PADME HUM

Fundamentos do Reiki

A cura mais importante é a do espírito.”

Só por hoje, não me preocupo.
Só por hoje, não me zango.
Só por hoje, trabalho honestamente.
Só por hoje, mostro-me grato por tudo.
Só por hoje, respeito todos os seres vivos. 

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Numerologia Tântrica

Auto conhecimento e transformação

Numerologia é a arte da ciencia e da transformação.
A função basica da numerologia tântrica é trazer às pessoas e elevação de sua consciência.
Todos têm dentro de si a capacidade de manifestar qualidades e de manifestá-la com alegria.
Daí a busca para compreendermos melhor quem somos e qual a nossa missão.
A numerologia tântrica estuda os dez números relacionados aos dez corpos espirituais do homem e nos traz uma compreensão dos nossos talentos e desafios na vida, possibilitando uma mudança positiva.
Não existe número bom ou número ruim, simplesmente existe a sua vibração.
Você vibra no positivo ou no negativo?
Nesta numerologia os números não mudam de acordo com os anos. Êles são fixos. É o aprendizado desta vida. Só muda aquele que estiver disposto a se conhecer e se transformar.
Somos uma manifestação Divina e precisamos reconhecer esta capacidade utilizando a partir deste conhecimento o serviço Divino.
Neste trabalho você conhece o seu número:
da Alma, do Karma, do Dom, do Destino, do Caminho, do Desafio, do Talento.
Em cada um você conhece a essencia do número, a qualidade, a personalidade, relação com os chakras, as caracteristicas positivas e negativas, as doenças causadas pelo desequilibrio energético.

Micael


Micael traz querer, força, coragem.
Ele é espirito solar.
Ele quer que o contemplemos,
trabalha com as consequencias,
não com as causas.
Micael é calado, contido.
Não dá resposta alguma.
Ele está presente, ele quer!

O que é pensado na Terra
ele aprova ou rejeita,
mas só se considerado justo
pelo mundo espiritual.

Pois em seus períodos, nem nunca,
participou da atividade terrestre.
Todo o herdado lhe é antipático!

O falar é algo
do quel ele se afasta,
pois prefere o pensamento.

(Rudolf Steiner)

Quem sou eu?

Oi gente
Meu nome é Alzira Dinelli.
Atuo na área de terapias alternativas.
Sou terapeuta floral.
Radiestesista.
Geocromoterapeuta - Sistema Geocrom
Analista e assessora de medicina de ambiente e Feng Shui integrado
Taróloga
Reikiana
Magnified Healing
Numeróloga - Sistema Tântrico

Este espaço é para você que busca uma orientação para sua vida, para sua saúde, para seu crescimento espiritual.